30.7.10

Fim da Progressão Continuada nas Escolas Brasileiras


Programa Progressão Continuada implantado na maioria das escolas públicas brasileiras pode estar chegando ao fim.

Desde quando foi implantado o sistema de Progressão Continuada nas escolas públicas brasileiras, e em especial do estado de Minas Gerais, que as críticas acontecem, principalmente por parte dos docentes através de seus sindicatos.
O que se vê na prática é pura e simplesmente a promoção automática, o que contraria a teoria. O nosso atual sistema de educação não dá ao aluno e aos profissionais da educação, estrutura suficiente que permita ao aluno ser promovido, ainda que passando por uma recuperação paralela.
A idéia de tornar a escola um vasto campo de inclusão social, acaba sendo o oposto, haja vista que este aluno vá ao futuro concorrer em pé de desigualdade levando-o a se posicionar as margens das oportunidades, o que vem a facilitar o seu ingresso no mundo das ilicitudes.
É sabido por todo educador, que aluno que não acompanha o ritmo de aprendizagem de seus colegas tende a se tornar rebelde, desafiador, indisciplinado.
Atualmente o que se vê em nossas escolas são verdadeiras “torturas” ao educador: alunos são promovidos automaticamente; a visão de formação do cidadão não é levada em conta na hora da avaliação do sistema avaliador, lembrando que esta formação de valores desenvolvida nas escolas tem efetivado cada vez mais às vezes em detrimento do científico, em face da “ausência” da família na formação da criança, por motivos que toda a sociedade está “careca” de saber.
Portal de Notícias do Senado
“Já está pronto para ser votado na Comissão de Educação um projeto do ex-senador Wilson Mattos, do PSDB do Paraná, que acaba com a Progressão Continuada. O relator foi o senador Romeu Tuma do PTB de São Paulo, que acredita agora que este sistema desestimula os estudantes. (ROMEU TUMA): Esta progressão continuada desestimula o aluno. Ele não precisa estudar, não vai ser reprovado nunca. Você tem que dar recuperação, dar todos os meios para o aluno aprender e não ser reprovado. Você fazer um método de progressão continuada, quer dizer, o aluno nunca sabe se ele está em condições ou não de prosseguir. (REP): Também o senador Cristovam Buarque do PDT do Distrito Federal, que foi ministro da Educação durante o primeiro ano do governo Lula, afirma que vai votar pelo fim da progressão continuada. (CRISTOVAM BUARQUE): É um crime contra o futuro do Brasil a promoção automática como ela é praticada. É uma maneira de esconder, não faz sentido. Se uma coisa é séria, a gente tem que tratar com seriedade. Se educação é importante, a gente tem que dar importância. Se a gente dá importância, a gente avalia. Avalia professor, avalia aluno. É um crime contra o futuro do Brasil a promoção automática. (REP): Se for aprovado na Comissão de Educação, o projeto segue diretamente para a Câmara dos Deputados.”

Nenhum comentário: