30.10.10

Tenente Wendel Nassau Nether se complica mais a cada dia que passa, podendo ter sua prisão transferida para Belo Horizonte

O tenente Wendel Nassau Nether continua preso no 55º batalhão do exército.
Ten. Wendel Nassau Nether
Depois de ser preso pela polícia federal no dia 23 de setembro deste ano por posse ilegal de armas de uso restrito das forças armadas e suspeita de pedofilia no distrito de Adão Colares, comunidade rural da cidade de Botumirim, além de abuso sexual das duas sobrinhas, que compareceram à regional da PF em Montes Claros para denunciá-lo, Wendel Nassau Nether agora é suspeito de ter abusado sexualmente de duas crianças de nove anos no dia 17 de setembro, época em que já estava sendo investigado.
Segundo Fernando Bonhsack, chefe da polícia federal em Montes Claros, a mãe de uma das crianças procurou a PF e disse que, no dia 17 de setembro, por volta das 09h, na escola estadual Clóvis Salgado, as duas meninas foram abordadas por um senhor de cabelos grisalhos. Durante todo o dia, elas não voltaram para casa. Preocupados, familiares procuraram as crianças em várias partes da cidade, mas nãos encontraram. Por volta das 12h, uma das meninas ligou para o celular do pai e falou para ele não ficar preocupado e que ela estava bem, na companhia de uma colega. A menina desligou o telefone, o que aumentou ainda mais a preocupação dos familiares.
O número registrado no identificador de chamadas era de um orelhão do Montes Claros Shopping. Rapidamente, os familiares compareceram ao shopping, porém, não localizaram as crianças. No final da tarde, as meninas apareceram com as roupas e pés sujos de terra, mas não contaram onde estavam. Afirmaram que tinham saído com um senhor de cabelos grisalhos. O pai da criança foi à delegacia de polícia e registrou um BO.
Com a prisão de Wendel Nassau, no dia 23 daquele mês, e com a repercussão em todos os jornais de Montes Claros, no momento que a notícia ia ao ar no programa MGTV daquele dia, a menina entrou em desespero e começou a gritar: - É ele. É ele. Mãe, pai. Ele vai matar vocês.
Com o desespero da criança, que não parava de chorar e gritar, a mãe da menina procurou a PF e contou o que havia acontecido.
Agentes compareceram ao shopping para pegar a gravação do circuito interno, porém, as imagens já haviam sido apagadas, pois permanecem no arquivo somente cinco dias. A criança reclamava de dores no peito, mas ainda não foi feito exame nas partes íntimas para constatar se houve penetração.

Drª. Maria do Carmo Soares, psicóloga do
Centro de Prevenção de Violência Contra  Crianças
 Com bloqueio psicológico da criança, Maria do Carmo Soares, psicóloga do centro de prevenção e notificação de violência contra crianças e adolescentes, conversou com a menina, porém, ela ainda não relatou o que aconteceu.
- Ela ainda não contou os detalhes, mas demonstrou um importante nível de medo e nervosismo ao serem apresentadas a ela fotos de Wendel Nassau - conta a psicóloga.
Ainda segundo Maria do Carmo, a criança apresentou medo em relação à eventual perda da mãe.
De acordo com o delegado da PF, o método de agir do tenente reformado é o mesmo que ele adotou com todas as vítimas.
O tenente reformado continua preso numa cela do 55º Batalhão de infantaria do exército, onde recebe visitas diárias de familiares.
A prisão preventiva do militar já foi decretada pela justiça e o chefe da PF afirmou que vai entrar em contato com a superintendência da PF em Belo Horizonte com o objetivo de conseguir junto ao comando do exército a transferência de Wendel Nassau para a capital mineira. O objetivo da transferência é evitar que familiares visitem o suspeito com frequencia para não haver coação no curso do processo.
ENTENDA O CASO
Segundo Fernando Bonhsack, chefe da polícia federal em Montes Claros, há cerca de três meses, a PF recebeu uma denúncia dando conta de que o tenente reformado tinha armas na casa onde mora em Montes Claros e numa fazenda na cidade de Botumirim. Constava ainda na denúncia ele abusava sexualmente de crianças na zona rural de Botumirim e guardava imagens de crianças mantendo relações sexuais com adultos.
Ainda segundo o delegado, além das armas apreendidas, um pendrive foi localizado com as imagens das crianças. O tenente reformado atribuía a culpa a um filho dele e afirmava que não sabia da mídia eletrônica. Mas, o filho compareceu à PF em Montes Claros e negou o crime.
Fernando acrescenta que, além das duas sobrinhas de Montes Claros, uma terceira também denunciou a prática e ainda uma quarta vítima pretende vir à cidade para denunciar os abusos sofridos na infância e adolescência.
As denunciantes, com o intuito de incentivar que outras pessoas, membros da família ou não, compareçam à PF para denunciar as brutalidades sofridas por elas e provavelmente pelos filhos, que também estão sofrendo nos dias atuais, resolveram falar com a imprensa. (Reportagem: Rubens Santana)
fonte: A província

Um comentário:

Anônimo disse...

Os verdadeiros criminosos dessa história um dia, ainda que demore serão desmascarados. Uma covardia sem tamanho que fizeram!!! E será se a imprensa terá coragem para mostrar a verdadeira historia que ocorreu por traz dos bastidores???