28.11.10

Funk do América Mineiro

27.11.10

O Coelho está de volta à Série A


Jogadores do América após empate com a
 Ponte Preta que levou o time à Série A.         
Não precisa dizer nada. O América está de volta de um lugar de onde nunca deveria ter saído.
Muitos foram os obstáculos, inúmeras dificuldades vividas pelo Clube que chegou a disputar a série B do campeonato mineiro, não foram motivos para fazer do Coelho um Clube medíocre.
Creio que neste instante o nosso Antonio Balthazar está em festa, pois foi ele quem nas horas de maior dificuldades acreditou, investiu, e, sempre fez questão de dizer que o América era viável. Foi ele que com todo empenho colocou o "trem" de volta aos trilhos.
A família  Salum, com certeza veio para completar ou concretizar o sonho de todos americanos que há nove anos capengava em disputas menores mas que honraram o América e marcaram a sua história. que nunca teve facilidades, colocando o mais querido de Minas de volta à Série A.
Parabéns América, parabéns torcida americana, parabéns a todos nós americanos e a todos os mineiros.

26.11.10

Choque de gestão provoca debate de quase cinco horas em audiência

A audiência foi solicitada pelo Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual, Fiscais e Agentes de Tributos do Estado (Sindifisco), que editou recentemente uma revista entitulada "A verdade sobre o choque de gestão do governo de Minas". Além de questionar os resultados, a maioria dos presentes questionou o modo como as reformas foram feitas pelo governador, utilizando-se do instrumento de editar leis delegadas.
A discussão foi considerada oportuna pelo presidente da comissão, deputado André Quintão (PT), uma vez que há um novo pedido de delegação do governador tramitando na Assembleia (Projeto de Resolução 4.999/10).
O deputado Carlin Moura (PCdoB), autor do requerimento pela audiência, disse que além de prejudicar a sociedade, o "choque de gestão" penalizou os servidores públicos do Estado, que perderam direitos e tiveram salários congelados. "Tudo isso se valendo da famigerada lei delegada", criticou.
No fim da reunião, foi aprovado requerimento dos deputados Adelmo Carneiro Leão (PT) e Carlin Moura, para que seja realizada nova audiência sobre o assunto, mas com a presença de representantes do governo do Estado.
Utilizando dados e tabelas fornecidas pelos próprios órgãos do governo, como os relatórios técnicos do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, e de entidades como Fundação João Pinheiro e IBGE, o Sindifisco apresentou números diferentes daqueles utilizados pelo governo em sua publicidade.
O presidente do sindicato, Lindolfo Fernandes de Castro, afirmou que o governo reduziu os gastos sociais (saúde, educação e segurança pública ) apesar de ter tido um aumento de 130% em sua arrecadação, no período de 2002 a 2009, e que Minas Gerais hoje é um dos Estados mais endividados do país, apesar de ter usado a expressão "déficit zero" em sua propaganda. De acordo com a publicação do Sindifisco, Minas é o penúltimo colocado no ranking de gastos com educação, e o 22º com saúde.
Dívida pública - O deputado Domingos Sávio (PSDB) defendeu a posição do governo do Estado, dizendo que o termo déficit zero refere-se apenas ao equilíbrio das contas públicas (relação entre receita e despesas). "Nunca foi dito que tínhamos dívida zero, mas déficit zero, porque realmente conseguimos equilibrar os gastos, isso é verdade e é público!", afirmou.
O deputado admitiu que a dívida do Estado com a União é realmente um problema sério, mas culpou o governo federal, que cobra juros de 7,5% ao ano, o que faz a dívida crescer vertiginosamente, apesar de o Estado estar pagando a parcela principal da dívida.
Domingos Sávio chamou os participantes da audiência e os críticos do governo a colaborarem na busca de soluções para os problemas do Estado. "Estamos todos do mesmo lado, querendo o melhor para Minas. Não podemos ter debates parciais. A eleição já acabou, vamos descer do palanque".
O deputado Duarte Bechir (PMN) classificou como "peça publicitária de cunho político-partidário" a revista do Sindifisco. Funcionários públicos presentes discordaram do deputado, apoiando o trabalho feito pelo Sindifisco.
Estado é um dos que menos investem em Educação
A coordenadora-geral do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais, Beatriz da Silva Cerqueira, citou dados do Ministério da Educação e da Fundação João Pinheiro para lembrar que Minas Gerais está mal no ranking de investimentos da área da Educação.
"O modelo de desenvolvimento que estamos vivendo não está dando resultado. A média de escolaridade em Minas é de 6,5 anos, menor que a média nacional, que é 7,2", advertiu Beatriz Cerqueira.
Segundo ela, essa média é ainda menor nos Vales do Jequitinhonha e Mucuri: 5,2 anos. Ela também criticou a falta de investimentos no ensino médio. "Nossos adolescentes e jovens não permanecem nas escolas, e como reflexo cresce a criminalidade nessa faixa etária", disse.
Beatriz Cerqueira disse que os professores não são valorizados, que a maioria recebe brutos cerca de R$ 900 por mês, e que o governo do Estado não cumpriu o acordo assinado com a categoria depois da última paralisação dos servidores. Desde agosto, quando encerramos a greve, nunca mais fomos recebidos pela secretária da Educação", reclamou. Também citou a violência dentro das escolas como prova do descaso do governo com os professores.
Polícia Civil questiona resultados do investimento em segurança
Minas Gerais é o segundo Estado a investir mais em segurança pública. Mas o Presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais, Denilson Aparecido Martins, disse que a categoria não se orgulha desse investimento.
Na opinião dele, o governo investiu em policiamento ostensivo, fardado, em vez de gastar com pessoal, com a formação adequada dos operadores de segurança, o que não está dando bons resultado. "Precisamos de repressão qualificada, com investigação e metodologia científica adequada, para que não aconteça em Minas o que está havendo no Rio de Janeiro". De acordo com Denílson Martins, o número de ocorrências policiais mostrado pelo governo não é real, pois existem milhares de ocorrências que ficam sem o registro devido e não vão para as estatísticas.
"Quem investe menos em educação, depois tem que investir mais em segurança, tem que construir mais presídios mesmo", lamentou o deputado Carlin Moura. Para o deputado Adelmo Carneiro Leão, "o governo está ocultando números, maquiando, para conquistar mentes e corações".
O presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais fez um apelo aos deputados, para que convençam o governador Antônio Anastasia a realizar, urgentemente, concurso público para delegados, investigadores, médicos legistas e escrivãos.
Saúde - O diretor da Coordenação Intersindical dos Servidores da Saúde, Renato Almeida Barros, classificou o choque de gestão como um "saco de maldades". Ele citou uma ação que tramita na 5ª Vara da Fazenda Pública de Minas Gerais, movida pelo sindicato, exigindo que o Estado invista pelo menos o mínimo estabelecido pela Constituição Federal, na área da saúde. Renato Barros criticou a posição do Desembargador de Justiça, Bittencourt Marcondes, que não concedeu liminar que garantiria, por meio de mandado de segurança, que o Estado cumprisse sua prerrogativa de investimentos. Renato Almeida Barros disse, ainda, que o dinheiro não investido em serviços essenciais tem sido destinados a cobrir renúncias fiscais em benefício de grandes empresários.
O deputado Antônio Júlio (PMDB) também criticou o Estado e disse que o Choque de Gestão é "pura manipulação de dados". "Há muito tempo eu digo que esse choque de gestão é feito com manipulação. Para o atual governo, dados estatísticos são mais importantes do que a própria realidade", disse ele.
Esclarecimentos - Por causa de outras afirmações contidas na publicação do Sindifisco, no fim da audiência, a comissão aprovou requerimento dos deputados Domingos Sávio (PSDB) e Duarte Bechir (PMN) para que seja encaminhado ofício ao Ministério da Fazenda, ao Senado Federal, à Secretaria do Tesouro Nacional e à Secretaria de Estado da Fazenda, para verificar se houve alguma alteração ou irregularidade na apresentação dos dados contábeis do governo de Minas, quando da solicitação de autorização do governo federal para contratação de financiamentos junto a organismos internacionais.
Presenças - Deputados André Quintão (PT), presidente; Adelmo Carneiro Leão (PT), Antônio Júlio (PMDB), Carlin Moura (PCdoB), Duarte Bechir (PMN), Domingos Sávio (PSDB).
 O Sindifisco na ocasião lançou a revista " A verdade Sobre o Choque de Gestão do Governo de Minas".
Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - www.almg.gov.br

Alexandre Mal chegou e já deixou o Funorte EC

Alexandre  meio campista ex-São Paulo
A volta do que não veio
Três dias, foi o tempo de permanência do atleta Alexandre ex- São Paulo que chegou como um dos principais nomes para o elenco do funorte que disputará o grupo de elite do futebol mineiro em 2011. Apresentado na última segunda-feira (22) ao Técnico Wagner Oliveira, já na quinta-feira, o atleta optou por rescindir seu contrato.
Segundo o blog De Veneta do jornalista Christiano Jilvan, o motivo principal de o atleta decidir em não permanecer no Clube foi a Insegurança, quanto aos destinos do Formigão, uma vez que a saída de Diretores, que culminaram justamente com a sua chegada o deixou inseguro, além do mais, não viu ali um elenco capaz de fazer bonito no campeonato em que irá disputar a partir de janeiro do próximo ano.

20.11.10

Após 8 anos, irmãos de Lula mantêm vida modesta


Genival Inácio da Silva, um dos irmãos vivos de Lula,
no terraço de sua casa em São Bernardo do Campo
FABIO VICTOR DE SÃO PAULO

Vavá tinha 108 canários do reino, hoje não resta nenhum. O motivo: os ratos de telhado que invadiam o viveiro do seu sobrado na periferia de São Bernardo do Campo, Grande São Paulo.
A casa simples onde mora Vavá, ou Genival Inácio da Silva, irmão do presidente Lula, é a mesma há 36 anos.
Às vésperas do segundo turno da eleição, ele conversou por uma hora com a Folha. De início, gritou para a mulher, que atendeu o portão, que não queria papo. Mas logo cedeu e convidou a reportagem a entrar.
Primeiro falou na apertada sala (5 m²), decorada com móveis tipo Casas Bahia, azulejo barato, uma TV grande e três quadros: uma foto oficial do presidente (com o autógrafo "Para o meu querido irmão Vavá, um abraço do Lula"); um retrato em preto e branco da mãe, dona Lindu; e um quadro bordado de uma mulher-anjo.
Depois, no terraço do primeiro andar nos fundos da casa, onde havia a criação, contou que os ratos arruinaram os canários e ele foi forçado a dar os que restaram.
Personagem do noticiário em 2007, quando foi indiciado pela Polícia Federal por tráfico de influência e exploração de prestígio, na Operação Xeque-Mate (que investigou máfia de caça-níqueis), Vavá foi excluído da denúncia do Ministério Público.
"Os caras pensam que a gente é milionário, quebraram a cara. Desmoralizam você, te jogam no lixo. Se não tiver cabeça, acabou."
Aposentado como supervisor de transporte da Prefeitura de São Bernardo, pouco sai de casa. Ainda se ressente de seis cirurgias nos últimos anos (no fêmur e na coluna).
DUREZA
A poucos dias de Lula deixar a Presidência, após oito anos no cargo, os seus seis irmãos vivos moram em situação semelhante à de Vavá, alguns com maior dureza.
O primogênito, Jaime, 73, vive numa periferia pobre de São Bernardo, acorda diariamente às 4h30 e vai de ônibus para o trabalho, numa metalúrgica na Vila das Mercês, zona sul de São Paulo.
Marinete, 72, a mais velha das mulheres, que foi doméstica na juventude e hoje não trabalha, é vizinha de Vavá.
Quando a Folha o entrevistava, ela surgiu no terraço dos fundos do seu sobrado, colado ao dele, para checar um contratempo. "Não tem água. Acabou a água da rua e estou sem água", queixou-se. "Marinete do céu, nenhuma das duas [da rua ou do tanque]?", questionou Vavá.
O fotógrafo Lalo de Almeida subiu no muro para checar o registro da caixa d'água. "Ó o sujeito... Ah, você não vai subir, não. Filhinho de papai, não sabe subir em muro", gracejou Marinete.
Vavá, 71, é o terceiro. É seguido por Frei Chico (José Ferreira da Silva), 68, o responsável por introduzir Lula no sindicalismo. Metalúrgico aposentado, Frei Chico recebe ainda uma indenização mensal de R$ 4.000 por ter sido preso e torturado na ditadura. Presta assessoria sindical e mora em São Caetano.
Maria, a Baixinha, 67, e Tiana (cujo nome de batismo é Ruth), 60, a caçula --Lula, 65, está entre as duas--, completam a família. A primeira vive no mesmo bairro que Vavá e Marinete e não trabalha; Tiana, merendeira numa escola pública, mora na zona leste de São Paulo.
Esses são os sobreviventes dos 11 filhos de dona Lindu com o pai de Lula, Aristides --que teve vários outros filhos com outras mulheres.
SAÚDE
Todos os irmãos do presidente Lula têm problemas de saúde. Jaime e Maria enfrentaram cânceres. Frei Chico é cardíaco. Vavá tem complicações ósseas. Marinete está com uma doença grave que os irmãos não revelam.
"Só tem o Lula bom ainda", afirma Frei Chico.
Os parentes dizem não receber auxílio financeiro do presidente e não se queixam disso. "Ele não foi eleito presidente para ajudar a família. Seria ridículo se desse dinheiro", declara Vavá.
"Não tem o que dizer. O Lula tem a vida dele, temos a nossa. Ainda posso trabalhar, trabalho", diz Jaime.
Frei Chico conta estar aliviado com o fim do mandato de Lula na Presidência. Ele acredita que vai cessar o assédio aos irmãos em busca de atalhos até o Planalto.
"Para nós, só tem a melhorar. Vamos ficar mais tranquilos em relação à paparicagem. É muita gente enchendo o saco, gente que achava que a gente podia fazer alguma coisa", afirma.
Os irmãos não têm ilusão de que, ao deixar Brasília, Lula seja assíduo nas reuniões familiares. "Estamos envelhecendo, a família vai chegando ao fim e assumem os filhos e sobrinhos, a família lateral", diz Vavá.
O consolo é pensar que o irmão famoso estará mais perto. "Ele disse que não vê a hora de voltar [para São Bernardo] para descansar um pouco. Ele está muito cansado. O Lula tem trabalhado muito", afirma Marinete.

19.11.10

Você está pensando em ser professor?...

Mais uma Professora denuncia ataque de estudante em sala de aula

'Ele forçou a entrada, empurrando a porta, que me acertou. Caí e bati em uma cadeira, trincando uma costela. A dor foi tanta que não consegui me levantar', Antônia Nogueira, professora ( Beto Magalhães/EM/D.A Press)
"Ele forçou a entrada, empurrando a porta, que me acertou.
Caí e bati em uma cadeira, trincando uma costela.
A dor foi tanta que não consegui me levantar",
Antônia Nogueira, professora
O atrito entre um estudante de 15 anos e uma professora de 51 deixou a sala de aula e virou caso de polícia no município de Cláudio, no Centro-Oeste de Minas, a 183 quilômetros de Belo Horizonte. O adolescente, matriculado na 8ª série de uma escola estadual da cidade, é acusado de agredir Antônia Alexandre Nogueira, que leciona a disciplina de língua inglesa. O boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar informa que ela foi jogada ao chão e teve uma costela trincada, ficando com hematomas pelo corpo. A punição do menor foi uma advertência da instituição de ensino e uma suspensão que termina amanhã. O incidente ocorreu na sexta-feira.
"Aguardava, no fim da aula, junto à porta, o professor que lecionaria a disciplina no horário seguinte ao meu. O estudante tentou entrar na sala e não deixei, dizendo que ele deveria aguardar o educador. Então, ele forçou a entrada, empurrando a porta, que me acertou. Caí e bati em uma cadeira, trincando uma costela. A dor foi tanta que não consegui me levantar. Precisei da ajuda de um colega. Estou tomando remédios para aliviar o sofrimento”, disse a professora.
Ela fez exame de corpo de delito na Santa Casa do município e acionou a Polícia Militar, que lavrou o boletim de ocorrência e encaminhou o caso para ser investigado pela Polícia Civil. A professora afirma que o estudante é problemático e que essa não é a primeira vez que ele causa tumulto na escola. Por mais de uma vez, acrescenta, o menor abaixou a calça diante das alunas.
“Ele mostrou a genitália na sala de aula e fora dela. Além do mais, tem o hábito de ridicularizar os colegas de classe por meio de apelidos. O dia em que ele vai à escola não fico sossegada. Não consigo lecionar direito. Sei que a PM já foi à casa do rapaz e conversou com os responsáveis. Quero que ele cumpra, para seu próprio bem, medida socioeducativa”, diz, revoltada, a educadora.
A Polícia Militar confirmou o registro da ocorrência e informou já ter encaminhado o assunto para ser esclarecido pela Civil. Já a diretora da escola, que prefere não se identificar, informou que o caso também chegou ao conhecimento do Conselho Tutelar do município. Ela, porém, prefere não emitir opinião sobre o episódio. Argumenta que o caso será tratado internamente, para preservar a boa imagem que a instituição de ensino conquistou no município.
SIND-UTE/MG.
 
O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) afirmou nesta sexta-feira que episódios de agressão a professores em sala de aula são mais comuns do que se pode imaginar. Segundo o sindicato, o medo, as frequentes ameaças e o silêncio dos professores quando situações como essas acontecem, torna a violência na escola cada vez mais comum. O Sind-UTE/MG se colocou a disposição para ajudar os profissionais e aconselhou que os educadores não se envergonhem por terem sido agredidos. 
 
 

18.11.10

Joel da Cruz Santos ex-Prefeito de Taiobeiras é condenado a dois anos e três meses de prisão

Ex-prefeito do Norte de Minas é condenado por corrupção de menores
Agência Estado
O ex-prefeito do município de Taiobeiras, no Norte de Minas, Joel da Cruz Santos, foi condenado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais, pelo crime de corrupção de menores. A pena foi de dois anos e três meses de reclusão em regime semiaberto, mas cabe recurso.
Segundo a denúncia do Ministério Público, quando era prefeito, em 1997, Joel pagou a garotas menores de idade para fazerem sexo com ele. A juiza responsável pelo caso condenou o réu por corrupção de menors, mas não ficou comprovado o favorecimento à prostituição pois, segundo a juíza, o ex-prefeito pagou menores para satisfazer o seu próprio interesse sexual, e não para que elas entrassem no comércio profissional do sexo.
A pena foi aplicada com uma atenuante, que é o fato de o acusado ter mais de 70 anos na data da sentença, e com a agravante de ele ter cometido o crime com abuso de poder, em função do cargo público que ocupava na ocasião.
Em 1997, os casos de prostituição infantil no Norte de Minas motivaram a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa. Naquela época, foram feitas várias denúncias contra o então prefeito de Taiobeiras, que exploraria sexualmente menores de idade do município

17.11.10

Chuva inunda parte da cidade de Montes Claros

Foto de divulgação -Corpo de Bombeiros
No fim desta tarde, quarta-feira (17),  um forte temporal caiu sobre a cidade de Montes Claros deixando ruas inundadas em vários pontos da cidade. Segundo o Corpo de Bombeiros, no Centro da cidade uma clínica médica teve o telhado destruído por causa do vento. Já os bairros Morrinhos, Santa Rita I e II, e Vila Campos foram inundados - a água subiu a mais de 1,30 metro. Os outros bairros registraram apenas lentidão do trânsito e leves batidas entre carros. Nenhuma pessoa se feriu ou foi levada pelas enxurradas.

13.11.10

MEC divulga gabaritos do ENEM

O MEC divulga os gabaritos oficias do ENEM 2010 após muita polêmica.
Caso queira acessar aos gabaritos , clik no link "GABARITOS OFICIAIS"

12.11.10

Aluno quebra os braços e 6 dentes de professora no RS


A pedagoga Jane Antunes, de 57 anos, da escola técnica Factum, no Centro de Porto Alegre, presta queixa em delegacia de Porto Alegre, ontem (11), após ser agredida por um aluno do curso de enfermagem, de 25 anos, na última terça-feira (09). O estudante, que também é instrutor de lutas marciais, ficou revoltado após ter tirado uma nota baixa e agrediu a professora com uma cadeira de ferro, e quebrou seis dentes e os dois braços da professora com socos e chutes após ela ter desmaiado.
Após tomar conhecimento de sua nota, o rapaz utilizou uma cadeira de ferro para agredir a professora, de 57 anos
O delegado Fernando Soares, que investiga o caso, disse que um segurança e o porteiro do prédio ainda tentaram deter o agressor mas não conseguiram. O estudante, de 25 anos, ainda não foi localizado pela polícia.

PARQUE DO PERUAÇU RECEBE LUIZA BRUNET QUE POSA NUA E COBERTA DE ARGILA

Luiza Brunet posou, completamente nua e coberta de argila, para as lentes do fotógrafo Jacques Dequeker no Parque Nacional Cavernas do Peruaçu, em Januária, noroeste de Minas Gerais, e no Parque da Serra da Capivara, no Piauí. O ensaio vai ilustrar o catálogo em 3D que apresentará as 24 joias de ouro feitas pelos vencedores da quinta edição do concurso de design Auditions, realizado pela mineradora sul-africana AngloGold Ashanti.
O resultado do concurso será anunciado por Luiza na terça-feira (16), no Palácio das Artes de Belo Horizonte, em um evento que terá como apresentadores Fernanda Lima e Rodrigo Hilbert, além de shows do DJ alemão Hell e da cantora Céu. O catálogo será assinado pelo cenógrafo e artista plástico Gringo Cardia e terá prefácio de Affonso Romano de Sant’Anna.



7.11.10

BMG/Montes Claros e Volta Redonda estreiam com vitória

                                                                  
foto:CBV
Ginásio Tancredo Neves - Montes Claros-MG.
Quase cinco mil pessoas assistiram à vitória do BMG/Montes Claros
RIO DE JANEIRO, 06.11.10 – A torcida de Montes Claros foi a primeira a comemorar uma vitória na edição 10/11 da Superliga masculina de vôlei. Neste SÁBADO (06.11), o atual vice-campeão, o BMG/Montes Claros (MG) estreou diante de seus torcedores no ginásio Tancredo Neves, em Montes Claros, e não decepcionou. A equipe comandada pelo técnico Talmo de Oliveira venceu o Santo André/Spread (SP) por 3 sets a 0 (25/21, 30/28 e 25/12), em 1h29 de jogo.
A equipe mineira voltará à quadra no próximo SÁBADO (13.11), quando terá pela frente o Londrina/Sercomtel (PR), time estreante na Superliga. O confronto será em Montes Claros, a partir das 19h30. Já o Santo André/Spread entrará em quadra novamente no dia 18 e jogará novamente fora de casa. Desta vez, o adversário será o BMG/São Bernardo (SP), no ginásio Adib Moysés Dib, em São Bernardo do Campo (SP), a partir das 19h.
Após a partida, o técnico do BMG/Montes Claros estava satisfeito com a primeira vitória. “Começamos um pouco apreensivos, mas no final conseguimos um excelente resultado. No terceiro set, o time jogou muito bem. Todos estão de parabéns. Agora, temos uma semana inteira para continuar trabalhando e evoluindo. Precisamos corrigir o que erramos e continuar acertando pequenos detalhes”, avaliou Talmo de Oliveira.
Torcida mineira comparece em peso
Um dos segredos do sucesso do BMG/Montes Claros na temporada de estreia foi a presença da torcida que compareceu em peso ao ginásio Tancredo Neves e deu ao time mineiro a melhor média de público da edição 09/10. E no primeiro jogo desta edição não foi diferente. Ao todo, 4.865 torcedores vibraram com o resultado.
“A torcida continua sendo nossa aliada. Hoje, tem um grande show aqui em Montes Claros com muitos artistas famosos, e nós conseguimos colocar mais de cinco mil pessoas dentro do ginásio. Tenho a certeza de que no próximo jogo eles vão entupir ainda mais nosso ginásio”, completou Talmo.
O maior pontuador da partida foi o ponteiro Bruno Zanuto, que defendeu o Sada Cruzeiro (MG) na última temporada. O atacante do BMG/Montes Claros assinalou 17 pontos, 16 deles de ataque. Outro destaque foi o oposto Leandrão, que marcou 14 vezes. Pelo Santo André/Spread, o oposto Alan foi quem mais marcou: sete vezes.
O BMG/Montes Claros jogou com Rodriguinho, Leandrão, Zanuto, Manius, Salsa e Alberto. Líbero – Fábio. Entraram: Rodrigo, Alemão e Denison. O Santo André/Spread começou a partida com a seguinte equipe: Bernardo, Alan, Orlando, Rudi, Paulão e Matheus. Líbero: Rodolfo. Entraram: Juarez, Gaúcho e Jonathan.
Volta Redonda vence depois de quase três horas de jogo
O outro jogo do sábado foi mais emocionante e disputado. Depois de 2h40 de jogo, o Volta Redonda, que começou vencendo os dois primeiros sets, precisou de cinco parciais para derrotar o Soya/Blumenau/Martplus (SC) no tie-break (26/24, 29/27, 23/25, 18/25 e 15/12), no Olympico Club, em Belo Horizonte.
O oposto Leozão do time do Rio de Janeiro foi o maior pontuador da partida, com 20 pontos. Pelo Soya/Blumenau/Martplus, o destaque foi o ponteiro Marcos Cordeiro, com 18 acertos.
O time do Rio de Janeiro terá uma pedreira pela frente na próxima rodada. No SÁBADO (13.11), a equipe enfrentará a tetracampeã Cimed, em Florianópolis, no ginásio Capoeirão, a partir das 20h. O Soya/Blumenau/Martplus voltará à quadra no dia 18, quando terá pela frente a equipe da Medley/Campinas (SP), no ginásio Taquaral, em Campinas (SP), às 19h30.

2.11.10

Mortos estão sendo despejados dos cemitérios de Montes Claros.

Cemitério Parque Jardim da Esperança - M. Claros
No dia de finados, uma notícia que parece de outro mundo: mortos estão sendo despejados dos cemitérios de Montes Claros. A decisão foi da prefeitura diante da falta de vagas para enterrar os corpos.
Para que cerca de 120 pessoas sejam enterradas por mês nos dois cemitérios da cidade, é preciso desocupar algumas covas. Em alguns dias, até dez são reabertas. A prefeitura afirma que o procedimento é legal. "A gente faz a exumação, recolhe os ossos da pessoa que está sepultada e leva para o ossário, identificada", afirma Wesley Andrade,  Gerente de Cemitérios de Montes Claros.
Wesley Andrade, Gerente de
Cemitérios em Montes Claros
Wesley Andrade, Gerente de Cemitérios de Montes Claros
Os dois cemitérios da cidade têm juntos um área de 98 mil metros quadrados e 70 mil pessoas enterradas. Os responsáveis por eles dizem que não tem mais lugar para enterrar mais gente.
A situação da falta de espaço não é de hoje. De acordo com a atual administração do município, o problema já era discutido em 1997.
No início deste ano, o poder executivo abriu licitação para construção de outro cemitério. A prefeitura, no entanto, teve que interromper o processo por causa de uma denúncia do Sindicato dos Cemitérios e Crematórios do Brasil.

1.11.10

Vendaval deixa mais de 150 famílias desabrigadas em São Roberto de Minas, povoado de São João da Lagoa.

Mesmo com um regime de chuvas ainda bastante irregular aqui no norte de Minas, pode se notar que as pancadas que ainda muito poucas tem provocado danos materiais que vão desde queda de árvores até obstrução de estradas.


As chuvas da madrugada desta segunda feira 1/11 causaram a interdição da estrada da produção que liga Montes Claros ao Distrito de São Pedro das Garças na altura do rio Cana Brava para o tráfego de caminhões e ônibus sendo liberado após horas de muito trabalho para automóveis.

Um forte vendaval atingiu o povoado de São Roberto de Minas, no Norte do Estado, no fim da tarde desta segunda-feira. De acordo com a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros, pelo menos 150 famílias ficaram desabrigadas. O 7º Batalhão dos bombeiros, de Montes Claros, próximo ao povoado, não confirmou a quantidade de pessoas afetadas.

Segundo O Jornal O Tempo de Belo Horizonte, o sargento Juliano Ribeiro informou que um morador de São Roberto de Minas ligou por volta das 17h40, dizendo que o vendaval tinha ocorrido às 16h, mas que não tinha conseguido fazer contato antes. Conforme relato do solicitante aos bombeiros, muitas árvores caíram, assim como postes de iluminação. Um rapaz ficou ferido e foi encaminhado a um hospital de Coração de Jesus, que também fica na região.

“Nós enviamos duas guarnições para lá, uma delas do subcomandante do batalhão, com material para corte de árvores. O prefeito do município de São João da Lagoa, onde fica o povoado, também foi avisado e deve ir ao local avaliar a situação, caso seja preciso declarar situação de calamidade”, afirmou o sargento. Segundo ele, a Cemig e a Defesa Civil foram informadas sobre o vendaval.

Em Montes Claros o restante do dia foi de céu encoberto, porém sem chuvas até o momento com previsão de um dia de finados com céu nublado e pancadas de chuvas no decorrer do período.