16.12.10

Pesquisa da Unifesp revela que alunos de escolas particulares consomem mais drogas do que aluno de escola pública

Uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)  revelou que alunos de escolas particulares utilizam mais drogas ilícitas do que estudantes da rede pública.
De acordo com o levantamento, 13,6% dos 19.610 alunos de escolas privadas consultados afirmaram ter usado algum tipo de droga (com exceção do álcool e tabaco). Na escola pública, o índice é de 9,9%.
O estudo revelou dados positivos. Em comparação com último levantamento realizado em 2004, o consumo de substâncias ilícitas por alunos da rede pública caiu expressivamente. Houve uma queda de 49,5% no período.
A cocaína, no entanto, foi a única droga que não registrou diminuição de consumo. Ao contrário da maconha que é a droga mais usada pelos estudantes do sexo masculino. As meninas disseram que a preferência é pelo uso de medicamentos sem prescrição médica.
O estudo ouviu cerca de 51 mil estudantes de escolas públicas e privadas das 26 capitais do país e do Distrito Federal.
De acordo com a pesquisadora do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid), Ana Regina Noto, a pesquisa permite conhecer a realidade do uso de drogas entre os adolescentes para nortear as políticas públicas voltadas para essa faixa etária. “Conseguimos descrever padrões de consumo que respondem como estamos, quais os jovens mais vulneráveis e fazer a comparação com os anos anteriores que mostram como caminhamos”, disse.

Nenhum comentário: