31.3.11

Trabalhadores em educação de Minas Gerais tiram indicativo de greve

Trabalhadores em educação de Minas Gerais tiram indicativo de greveDia 19/04 acontece nova assembleia estadual
Em assembleia estadual realizada na última terça-feira (29.03), no Pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), os/as trabalhadores/as em educação de Minas Gerais, sob a coordenação do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), votaram por indicativo de greve com a deliberação de uma nova assembleia estadual para dia 19 de abril, em Ouro Preto, com paralisação total de atividades na referida data.

A categoria também se manifestou referendando moções de apoio à luta dos trabalhadores de Piassu, em face da recusa do prefeito de abrir negociações; à greve dos trabalhadores/as de Betim e repúdio à política local que também se nega a negociar com a categoria e ainda persegue trabalhadores em greve; repúdio ao governo federal em face de ações truculentas no Rio de Janeiro que culminaram na prisão de três manifestantes durante a visita do presidente dos Estados Unidos ao Brasil; repúdio às ações de violência da polícia nas comunidades Camilo Torres e Irmão Dorothy e Dandara, em Belo Horizonte.

De acordo com a coordenadora geral do Sind-UTE/MG, Beatriz Cerqueira, os trabalhadores em educação aguardam uma posição do Governo do Estado que ainda não apresentou proposta de reajuste para o funcionalismo em 2011, bem como a regulamentação da jornada de 30 horas para professor.
Segundo a direção do Sind-UTE/MG, cerca de 5 mil trabalhadores/as participaram da assembleia estadual, número representativo e que já demonstra a força da mobilização e a disposição da categoria de ir à luta.

30.3.11

MEC aplicará duas provas do Enem por ano só em 2012


O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) terá duas edições somente a partir de 2012, com provas em maio e outubro. Conforme o UOL Educação apurou, o MEC (Ministério de Educação) já descartou duas edições da prova neste ano.

A realização de duas provas por ano havia sido apontada pelo ministro Fernando Haddad como uma maneira de reduzir os seguidos problemas que o Enem vem enfrentando. O MEC cogitava a possibilidade de aplicar os dois exames já em 2011. A licitação com a gráfica que imprime o Enem permitia que isso acontecesse agora -já que o contrato foi assinado para a realização de duas provas.

A presidente do Inep, (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), Malvina Tuttman, comunicou a novidade a instituições de ensino superior durante reunião no dia 22 de março. O exame deve continuar nacionalizado.

Na última edição, houve erros de impressão em cadernos de prova e as folhas de resposta vieram com os cabeçalhos trocados. Esses erros provocaram uma batalha judicial que só foi encerrada após uma decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça). Em 2009, a prova vazou e o exame precisou ser cancelado dois dias antes da realização.

Em janeiro, em entrevista ao UOL Educação, Malvina havia dito que uma ampliação do Enem “poderia incluir” os dois exames. Ela afirmou que, nos últimos dois anos, a prova foi utilizada como “projeto piloto”. "O Enem foi utilizado nos últimos dois anos como projeto piloto, ao avaliarmos o impacto, ao montarmos uma proposta de ampliação", disse.
Extraído do portal: PB Agora

Prova vai detectar nível de alfabetização no início do ensino fundamental

Foto:http://pedagogia-1b.blogspot.com/
 
Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Alunos matriculados no 4° ano do ensino fundamental participam nesta semana de uma nova avaliação que pretende detectar o nível de alfabetização das crianças que completaram os três primeiros anos desse nível de ensino. A Prova ABC é uma iniciativa do Movimento Todos pela Educação e do Instituto Paulo Montenegro, em parceria com a Fundação Cesgranrio e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).
As avaliações oficiais existentes hoje no país medem o desempenho dos alunos a partir do 5° ano do ensino fundamental. Para a diretora executiva do Movimento Todos pela Educação, Priscilla Cruz, é importante que o Brasil implemente um instrumento para medir a alfabetização dos alunos mais novos, de forma que as políticas públicas possam ser corrigidas a tempo.
“Se você não tem uma criança alfabetizada plenamente até os 8 anos de idade, o aprendizado a que ela tem direito no futuro não ocorrerá. O instrumento inicial de compreensão do mundo é a alfabetização”, afirma.
Foram selecionados 6 mil alunos de 262 turmas de escolas municipais, estaduais e particulares de todas as capitais do país para participar da prova. Os resultados estão previstos para a segunda quinzena de junho.
Desde 2008 o Ministério da Educação envia às escolas públicas do país a Provinha Brasil, um teste aplicado pelos próprios professores a alunos do 2° ano do ensino fundamental. Os resultados não são divulgados e servem apenas como diagnóstico para os educadores avaliarem o nível de aprendizagem dos estudantes. Priscilla acredita que é necessária uma prova externa e que cubra todo o país.
“Avaliação não é para punir ninguém, mas um instrumento para garantir a qualidade. O direito de aprender está na Constituição Federal, mas como a sociedade pode exigir se não há uma avaliação externa que diga se elas estão aprendendo ou não?”, pergunta.
Em 2008, dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostraram que 1,3 milhão de crianças e adolescentes brasileiros de 8 a 14 anos não sabiam ler nem escrever. Desse total, 84,5% frequentavam a escola.
Edição: Graça Adjuto 

Merenda escolar será enriquecida com peixe de pescadores ou produtores artesanais

foto de divulgação/Codevasf
Peixe na merenda escolar: Pescado coletado por pescadores artesanais ou criado por agricultores familiares completará o cardápio da merenda escolar em pelo menos 20% das cidades brasileiras até o próximo ano
No momento em que o Ministério da Pesca e Aquicultura quer que o pescado coletado por pescadores artesanais ou criado por agricultores familiares integre o cardápio da merenda escolar em pelo menos vinte por cento das cidades brasileiras até o próximo ano, a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba – Codevasf se apresenta como um dos primeiros e principais órgãos do governo federal para atendimento às pretensões ministerial.
O técnico em pesca e aquicultura da Codevasf em Minas, Fernando Alves, disse que a Companhia já se prepara para treinar e capacitar os membros dos conselhos de alimentação escolar, nutricionistas e serventes escolares dos municípios do alto São Francisco.
Alves explica que o pescado, em especial a polpa de peixe, apresenta características favoráveis à sua introdução na merenda escolar, tais como: valor nutritivo elevado, boa aceitação pelas crianças, facilidade de preparo e armazenagem e reduzido valor comercial, além de contribuir para a elevação da renda dos piscicultores e, ainda, a redução dos impactos ambientais – obtida pela diminuição dos resíduos.
Nos oito municípios do Comlago, serão beneficiados, inicialmente, mais de 15 mil alunos que fazem parte do Programa Nacional de Alimentação Escolar, com recursos do governo federal, repassados aos municípios.

25.3.11

Processo de indicação de diretores e vices de escolas estaduais já tem cronograma definido

Secretária de Estado da  
Educação de MG.            
Ana Lúca Gazzola           

Chapas com os nomes dos servidores indicados pelas comunidades serão conhecidas no início de junho

A partir de abril as escolas estaduais de Minas Gerais começam a se mobilizar para o processo de indicação para o cargo de diretor e para a função de vice-diretor. Foi publicada na última quarta-feira (23) uma resolução que define critérios e condições para o processo de escolha e ainda estabelece um cronograma. A partir do dia 04 de abril começam a ser formadas as comissões organizadoras do processo em cada comunidade escolar e, de acordo com o cronograma, os nomes dos indicados em cada escola serão conhecidos no início de junho.

O processo de indicação para os cargos de diretores e as funções de vice-diretores acontece em todas as 3808 escolas do Estado este ano. A resolução que determina os critérios para o processo foi estabelecida pela Secretaria de Estado de Educação, que consultou sindicatos da área de educação. “Reconhecemos a legitimidade das contribuições e demandas dessas instituições e trabalhamos sempre para que os processos possam avançar ao máximo dentro das possibilidades legais e orçamentárias”, explica a secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazzola.

O processo de indicação envolve profissionais da educação, pais e alunos. A comunidade escolar se organiza para votar e indicar a chapa que julga apta para assumir a gestão da escola. Têm direito a voto no processo os profissionais em exercício na escola, membros da comunidade escolar atendida e representantes do corpo estudantil, de acordo com os critérios estabelecidos em resolução. Feita a indicação, a SEE submete os nomes ao Governador do Estado, que autorizará a nomeação dos diretores.

Podem se candidatar ao cargo de diretor e às funções de vice-diretores de escola professores ou especialistas em educação básica que possuam cargo efetivo, efetivado ou de função pública estável. No caso de diretor, os servidores devem ter sido aprovados no exame de Certificação Ocupacional de Dirigente Escolar, realizado pela SEE em 2007 ou 2010. Os servidores devem ainda respeitar outros pré-requisitos listados na resolução, como possuir curso de licenciatura plena ou equivalente, ter obtido pontuação igual ou superior a 70% na última Avaliação de Desempenho na parte qualitativa, entre outros critérios.
Próximas indicações
A resolução publicada pela SEE definiu que um novo processo de indicação de diretores e vice-diretores poderá ser aberto somente a partir de 2013. Para este próximo processo, não poderão se candidatar servidores que tenham, no ato da inscrição, período igual ou superior a quatro anos consecutivos no cargo de diretor da mesma escola.
Extraído do site da SEE-MG

Diretores de escolas querem revisão de lei de subsídios

  Representantes da Associação de Diretores das Escolas Oficiais de Minas Gerais (ADEOMG) foram recebidos, na reunião de quarta-feira (23/3/11), pela Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Eles pleiteiam a revisão do plano de carreira da classe, definido pela Lei 18.975, de 2010. O tema será debatido em audiência pública da comissão no dia 6 de abril próximo. O requerimento para ouvir os representantes da Associação foi apresentado e aprovado pela comissão durante a reunião.
EE. Profª. Júlia Kubitschek - Diamantina - MG


De acordo com a advogado da ADEOMG, Leonardo Carneiro Assunção Vieira, antes da Lei 18.975 entrar em vigor, o subsídio da classe de diretores era definido mediante o critério de número de turmas da escola. Segundo Leonardo, a nova legislação contém um equívoco, na medida em que o critério estabelecido passa a ser o de número de alunos. Para o advogado, a nova organização não considera a complexidade com a qual a questão deveria ser tratada. " Uma turma com 12 alunos com necessidades especiais dá muito mais trabalho do que uma outra turma comum", comenta.
Outro aspecto abordado por Leonardo refere-se à perda de referência entre a remuneração dos diretores e dos professores. O advogado explicou que a legislação atual põe fim à lógica de remuneração existente no passado, segundo a qual um diretor recebia o equivalente a dois cargos de professor de educação básica, mais 50% de gratificação por dedicação exclusiva à atividade. Em um exemplo dado, Leonardo aponta que, atualmente, o maior subsídio de um professor com licenciatura plena é de R$1.865,13, enquanto o de um diretor é de R$3.500,00, valor este inferior ao subsídio que os diretores receberiam, caso fosse utilizada a regra anterior. "Se fizermos a conta, veremos como o valor atual está defasado", afirma Leonardo.
Fonte: ALMG.

22.3.11

Estudo indica que religião pode acabar em 9 países ricos


República Tcheca
 DA BBC BRASIL

Dados de censos colhidos desde o século 19 indicam que a religião pode ser extinta em nove nações ricas que foram analisadas em um estudo científico.
A pesquisa identificou uma tendência de aumento no número de pessoas que afirmam não ter religião na Austrália, Áustria, Canadá, Finlândia, Irlanda, Holanda, Nova Zelândia, Suíça e República Tcheca --o país com o índice mais elevado, com 60%.
Usando um modelo de progressão matemática, o levantamento --divulgado durante um encontro da American Physical Society-- mostra que as pessoas que seguem alguma religião vão praticamente deixar de existir nestes países.
Na Holanda, por exemplo, 70% dos holandeses não terão religião alguma até 2050. Hoje, esse grupo é de 40% da população.
"Em muitas democracias seculares modernas, há uma tendência maior de as pessoas se identificarem como sem uma religião", afirma Richard Wiener, que trabalha em um centro de pesquisa em ciência avançada, subordinado ao departamento de física da Universidade do Arizona.
A pesquisa seguiu um modelo de dinâmica não-linear que leva em conta fatores sociais e a influência que exercem em uma pessoa a fazer parte de um grupo não-religioso.
Os parâmetros se mostraram semelhantes em vários países pesquisados, indicando que a religião está a caminho da extinção nessas nações.

Professores da educação básica terão bolsas de mestrado


Ministro da Educação
 Fernando Hadad
O ministro da Educação, Fernando Haddad, anunciou hoje (21) que a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) passará a conceder bolsas de mestrado a professores da educação básica. Os cursos serão ligados às áreas de ensino da educação básica.
 Os educadores que conseguirem a bolsa terão de permanecer nas salas de aula da rede pública de ensino por, no mínimo, cinco anos depois da diplomação.
O anúncio foi feito pelo ministro durante cerimônia de premiação de professores no Palácio do Planalto. “Muitas vezes o mestrado não é na cidade onde o professor mora e isso exige custeio, gastos com transporte, alimentação, aquisição de material pedagógico”, explicou Haddad ao falar sobre a importância da bolsa para a formação dos professores da educação básica.
Fernando Haddad afirmou que a medida objetiva também estimular o aumento da oferta de mestrado para os educadores da rede pública ao criar a demanda pelos cursos. A portaria que normatiza a concessão dessas bolsas será publicado no Diário Oficial da União de hoje(22).
Fonte: Agência Brasil
 

17.3.11

"Super Lua"

Sábado, dia 19, caso o tempo não seja de chuvas, os brasileiros terão a oportunidade de ver o fenômeno conhecido por “Super Lua”. Na data, a Lua cheia parecerá maior do que o normal. Isso porque ela estará na distância mais próxima da Terra dos últimos 18 anos,. Devido à proximidade, as marés deverão se alterar. A Lua iluminará o céu a apenas 356.574 quilômetros daqui - 6.530 quilômetros mais perto do que o habitual. Esse ponto de proximidade se chama “Perigeu Lunar”. O fenômeno acontece apenas quando é Lua cheia e porque a órbita do satélite é elíptica - sua distância da Terra é variável - e não circular.

15.3.11

Haddad defende ProUni só com bolsas integrais

Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O ministro da Educação, Fernando Haddad, defendeu hoje (15) que o Senado faça uma alteração na lei que criou o Programa Universidade para Todos (ProUni) para que a oferta seja exclusivamente de bolsas integrais. Ele participou da abertura dos trabalhos da Comissão de Educação, Cultura e Esporte da Casa e foi questionado pelo senador Álvaro Dias (PSDB-PR) sobre irregularidades na concessão de isenção fiscal às instituições de ensino que participam do programa.
Em troca da oferta de bolsas do ProUni, os estabelecimentos de ensino recebem isenção de alguns tributos. Relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) apontou estabelecimentos que estão recebendo o benefício mesmo sem preencher todas as bolsas ofertadas sejam preenchidas. Segundo o senador, isso causou prejuízo de R$ 104 milhões à União, dinheiro que deveria ser ressarcido pelas instituições. Segundo Haddad, a maior parte das bolsas não ocupadas do ProUni são parciais (custeiam 50% da mensalidade). Ele disse que vai sugerir à liderança do partido no Senado que modifique a lei para que o benefício seja exclusivamente integral.
“Se o programa pode ser aperfeiçoado, é hora de nós darmos as mãos para fazê-lo. Uma iniciativa que ajudaria muito o ProUni é eliminar a meia bolsa. Se todas fossem integrais, o preenchimento seria muito mais fácil. Quando o aluno se inscreve para meia bolsa, muitas vezes reluta em assumir aquele compromisso na hora da matrícula, porque ele é de baixa renda”, pontuou.
O programa oferece a ex-alunos de escolas públicas bolsas de estudo em instituições particulares de ensino superior. As bolsas integrais são destinadas a estudantes com renda familiar mensal per capita de até um salário mínimo e meio. Já as bolsas parciais são para os candidatos cuja renda familiar mensal per capita de até três salários mínimos.
Para o primeiro semestre de 2011, 4% do total de 123 mil bolsas oferecidas ficaram ociosas na primeira etapa de inscrições – apesar do número recorde de 1 milhão de inscritos. De acordo com o Ministério da Educação, quase 90% das 5.526 bolsas que não foram preenchidas são de cursos de educação a distância. Outra característica dessas vagas é que a maioria (87%) é parcial. Entre as integrais, menos de 1% não foi ocupado.
Haddad admite que a questão da educação a distância no programa pode ser discutida, mas destacou que a proposta de alteração da lei do ProUni não vai partir do Executivo. “O problema de mandar um projeto do Executivo é que você reabre a discussão sobre o programa na sua natureza. Isso reabriria uma discussão que na época [da aprovação da lei] já foi muito pesada”, afirmou.
Edição: Nádia Franco

11.3.11

PUC abre inscrições para curso de capacitação tecnológica gratuito

A Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) e o Centro de Inovação Microsoft (MIC BH), localizado na unidade São Gabriel da universidade, abrem inscrições, até o dia 15 de março para a 8ª onda do programa de capacitação gratuita para o mercado de tecnologia, destinado a estudantes de ensino médio, superior e de pós-graduação.

A primeira etapa do Students to Business - S2B - realizada em Belo Horizonte será no dia 23 de março, no Teatro da PUC Minas no São Gabriel. Neste dia serão realizadas provas de conhecimentos gerais na área de Tecnologia da Informação (TI). As inscrições devem ser feitas no site do programa. O objetivo da iniciativa é auxiliar e formar jovens interessados em seguir carreira na área para conquistar boas oportunidades no mercado, adquirindo formação técnica para tornarem-se profissionais juniores em TI.

Na segunda etapa, os selecionados assistem a aulas sobre uma das tecnologias Microsoft por eles escolhidas na primeira etapa, nas áreas de Desenvolvimento de Software, Infraestrutura de SharePoint e Business Intelligence. A novidade desta edição é a capacitação em Desenvolvimento para computação em nuvem com o Windows Azure, a plataforma da Microsoft para execução de aplicativos e serviços de Cloud Computing.

Na terceira fase, os selecionados desenvolvem um projeto a partir do que aprenderam, utilizando os laboratórios do MIC BH e da PUC Minas. Ao final, os participantes apresentam os trabalhos desenvolvidos às empresas parceiras e convidados. No encerramento, serão entregues certificados, em um evento que inclui uma feira de empregos. O MIC BH é uma parceria entre a PUC Minas, a Microsoft e a empresa de tecnologia da informação BHS e tem o objetivo de fomentar o uso de tecnologias de ponta pelas empresas da região e oferecer capacitação profissional, além de estimular a indústria local de software.

O Students to Business faz parte das iniciativas de Cidadania Corporativa da Microsoft Brasil. Os participantes recebem licenças para download gratuito dos softwares utilizados nos treinamentos para dar continuidade prática do conteúdo aprendido utilizando o computador pessoal. A iniciativa também conta com o apoio de empresas que demandam mão de obra especializada e que oferecem oportunidades de emprego ou estágio ao final da capacitação.
Extraido Portal Uai 

10.3.11

IDÉIAS PARA FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS QUE NÃO TEM NADA PARA FAZER (E HÁ MUITOS...)

Há poucos dias recebí um e-mail que me chamou a atenção por dois motivos:
A criatividade artística e a inutilidade da obra. Por isso mesmo, resolvi postá-lo aqui nesse espaço até mesmo para brincar um pouco com esta valorosa classe trabalhista que é a de funcionário público da qual eu faço parte, mas que não me dá tempo para ser tão criativo quanto o "colega" aí.

O QUE FAZER COM UMA MOSCA MORTA
1º Mate umas moscas, com cuidado.
2º Deixa-as secar ao sol 1 hora.
3º Pegue as moscas, um lápis e papel...e  deixe fluir a imaginação.


Alguns exemplos:
E-mail enviado por  um funcionário público...
E o "trabalho" com as moscas também foi feito por ele...

8.3.11

6.3.11

Tremor de terra em Montes Claros foi de 3,2 graus





vista panorâmica de Montes Claros
O observatório Sismológico da Universidade de Brasília confirma terremoto de 3,2 graus com epicentro em Montes Claros, ontem à noite 05-03-2011; estes são os dados preliminares:
Data: 5 de março de 2011 (064);
Hora (BRA7): 23:29:41,568 (UTC);
Hora (SFA1): 23:29:44,003 (UTC);
Hora (CAN3): 23:30:08,698 (UTC);
Hora (SSV2): 23:30:09,349 (UTC);
Localização: lat. -16,733°, long. -43,860° (Erro: ± 0,09°);
Epicentro: Montes Claros (MG);
± 50 km de Francisco Sá (MG);
± 83 km de Brasília de Minas (MG);
± 147 km de Januária (MG);
± 182 km de Itacarabi (MG);
Magnitude: 3,2 mR.
Equipe responsável pelo Boletim Sísmico Brasileiro (Sisbra)* Análise e mapas: Diogo Farrapo Albuquerque;
* Colaboração: Prof. George Sand França;
* Coordenação Geral: Prof. Lucas Vieira Barros.









5.3.11

Terra volta a tremer em Montes Claros

Neste momento (20h e 30min), um forte estrondo assusta moradores da região norte de Montes Claros.
Estávamos todos em casa quando fomos surpreendidos com um estrondo parecido com os abalos sísmicos ocorridos em 2010.
Moradores sairam às ruas aqui do bairro Floresta  bastante assustados.
Estamos aguardando, parecer do Centro Sismológico de alguma parte do País para avaliar a intensidade do abalo, e consequentemente publicar os resultados.

4.3.11

Por que você torce para o América?


Time do América Mineiro que ficou imortalizado pela conquista do título estadual de 1971 com Nego, Oswaldo Cunha, Pedro Omar, Alemão, Vander e Cláudio Mineiro em pé e Hélio, Dirceu Alves, Jair Bala, Amaury e Hilton Oliveira agachados - Foto: http://desenvolvimento.miltonneves.com.br/QFL/Conteudo.aspx?ID=65503

Na leitura que faço diariamente do blog do jornalista Chico Maia, deparei-me com uma matéria em que ele publica um e-mail recebido de um torcedor americano, que ao meu ver respondeu de forma brilhante às perguntas que nos são feitas à respeito de sermos torcedores do sem igual América Mineiro, dez vezes campeão mineiro seguidamente e um dos maiores reveladores de talentos para o futebol mundial.
Sem pedir autorização, tomo a liberdade de reproduzi-lo na íntegra aqui neste espaço, embora acredito que a maioria dos torcedores de outras agremiações dificilmente compreenderão tal sentimento.

* COM TANTO TIME… (POR RAMON GREGÓRIO)
Com tanto time para torcer, por que você escolheu o América?”

Penso que a grande maioria dos torcedores do América já escutou essa pergunta, mas qual seria a resposta?
Nunca pensei porque torço pelo Coelhão.
Uns podem dizer: “você é americano porque seu pai é americano”, mas meu pai é um americano filho de Palestrino… Outros podem dizer: “você é americano porque é rico”, mas se eles derem uma “ispiadinha” no meu contra cheque… Ainda poderiam dizer: “você é mesmo do contra”, mas eu já até votei no Lula…
Mas ser americano é diferente. Talvez os outros não nos entendam, pois o nosso sentimento é incomum. Não torcemos, amamos! Sim, amor! Aquele mais puro e incondicional. Aquele em que não há cobranças ou arrependimentos.
Acho que nossa relação com o América é irracional, instintiva, incontrolável, mas, ao mesmo tempo, singela. Não seguimos o fanatismo da violência, querendo impor uma superioridade. Para nós existe outro caminho.
Esse sentimento complexo nos une, faz dos americanos uma grande família, não uma torcida e isso nos traz o respeito de nossos adversários. Sim… americanos tem adversários e não inimigos, porque no amor não há espaço para o ódio.
Muitas vezes, escutei de nossos adversários: “eu admiro vocês, porque nunca abandonam o seu time, vocês são loucos!”. É… talvez sejamos loucos, loucos de amor!
Em nossos corações uma série B é maior que uma Libertadores; uma série C mais importante que um Brasileirão e a Sul Minas infinitamente superior a Liga dos Campeões. Esses títulos nem o Real Madrid conseguiu, coisa de maluco mesmo.
Loucura, amor, paixão, não sei definir ao certo o que nos move. Se isso é patológico, não quero me curar.
Não posso explicar o amor, não posso explicar o porquê sou americano, talvez esse sentimento seja estranho para aqueles que não conseguem amar o verde, preto e branco.

* Ramon Gregório, 30 anos, morador de Contagem. Uns dizem que sou professor de geografia, outros que sou consultor ambiental, alguns que sou um tatuado caretão, mas na verdade eu sou mesmo é AMERICANO!”




Como se pode saber quando cai o carnaval de cada ano?

O primeiro passo é descobrir quando cai o domingo de Páscoa é sempre o primeiro domingo após a primeira lua cheia do outono no hemisfério sul ou da primavera no européia. Determinada esta data, retrocede-se 46 dias no calendário – quarenta dias da Quaresma e mais 6 da Semana Santa – e chega-se a Quarta-feira de Cinzas. Os três dias anteriores correspondem ao período do Carnaval. A palavra vem do latim carmen levare ou carnelevarium, que quer dizer "livrar-se da carne" e tem a ver com o fato de que na Quaresma os primeiros cristãos se abstinham de comer carne.
extraido dohttp://mundoestranho.abril.com.br/

3.3.11

Concurso nacional para professores poderá ter provas em 2012

Ministro da Educação Fernando Hadad
Amanda Cieglinsk
Repórter da Agência Brasil
Brasília – Dez meses depois do anúncio da proposta, começa a sair do papel a criação da Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente. A ideia do Ministério da Educação (MEC) é aplicar anualmente uma prova para selecionar professores interessados em trabalhar na rede pública.

Os resultados serão utilizados pelas secretarias municipais e estaduais de Educação que aderirem ao projeto. A portaria que normatiza o exame foi publicada hoje (3) no Diário Oficial da União e a matriz dos conteúdos está disponível para consulta pública na internet.

A prova será de responsabilidade do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Inicialmente, a ideia é que ela fosse aplicada em 2011, mas a primeira edição será no ano que vem, adianta o ministro Fernando Haddad. Logo que a proposta foi lançada, entidades que representam as instituições formadoras de professores e representantes da categoria questionaram o formato e a finalidade do exame. O MEC e o Inep tiverem que sentar à mesa com essas organizações para fechar a matriz e instituir um comitê de governança que dará a palavra final sobre o documento.

“A conclusão de vários estudos é de que as provas de concurso, em geral, são mal elaboradas do ponto de vista da seleção de quem vai trabalhar em sala de aula, elas não definem claramente qual é o perfil do bom professor. Nosso trabalho agora é legitimar uma matriz de referência que possa ser usada inclusive por aqueles que  que não queiram se valer da prova nacional”, defende Haddad.

Segundo o ministro, anualmente cerca de 100 mil professores ingressam na rede pública. Ele acredita que a matriz pode servir de referência para que estados e municípios melhorem seus processos seletivos.  “Nosso papel é induzir. Esse trabalho causa impacto na qualidade dos concursos, independentemente da realização da prova nacional. Isso tem impacto para trás, na formação inicial, e para frente, na própria carreira”, diz.

Ainda não há previsão de quando a primeira edição será realizada e, segundo Haddad, não há “pressa”. As entidades deverão apresentar sugestões de alteração à matriz até o fim de março. A presidenta do Inep, Malvina Tuttmann, explica que o próximo passo é fazer uma chamada pública para especialistas em educação interessados em formar um banco de itens, já que o Inep não tem questões preparadas para avaliar esse público. “Isso já vai ocorrer paralelamente. Esses profissionais serão qualificados para fazer um exame de grande escala”, aponta.

De acordo com o documento, a prova vai avaliar o profissional a partir de três dimensões: profissão docente e cidadania, trabalho pedagógico e domínio dos conteúdos curriculares. Serão exigidos conhecimentos em temas como políticas educacionais, gestão do trabalho pedagógico, além do domínio dos conteúdos como língua portuguesa , matemática, história e artes.

Professor de escola pública poderá fazer curso superior e pagar com aulas

Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil
Brasília - Cerca de 381 mil professores da educação básica – 16% dos que atuam em sala de aula – estão matriculados em cursos superiores, seja para conseguir o primeiro diploma ou complementar a formação. O Ministério da Educação (MEC) quer incrementar esse número e decidiu ampliar benefícios do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para profissionais que já atuam na rede pública.

Desde o ano passado, o programa permite a estudantes de cursos de licenciatura pagar o financiamento atuando em escolas da rede pública após a formatura. Cada mês trabalhado em regime de 20 horas semanais abate 1% da dívida – o que permite quitar o valor em oito anos e quatro meses sem custo financeiro.

A partir de uma portaria publicada hoje (3) no Diário Oficial da União, a medida será estendida a professores que já atuam na rede pública e querem cursar alguma licenciatura. Para aqueles que já estão na carreira, o tempo em que estiver fazendo o novo curso e trabalhando em escola pública passa a contar para o abatimento da dívida.

Levantamento feito pelo MEC em 2009 identificou que 600 mil professores que atuavam na educação básica não tinham a formação mínima adequada – ou não tinham diploma em nível superior ou eram formados em outra áreas que não as licenciaturas.

O cruzamento feito entre os dados dos censos da Educação Básica e Superior, que identificou 381 mil professores em busca do diploma, mostra que a maioria – 192 mil – está matriculada em cursos de pedagogia. Em seguida aparecem as licenciaturas em letras (44 mil), matemática (19 mil), história (14 mil), biologia (14 mil) e geografia (10 mil). Do total, 67% estão em instituições privadas.

De acordo com o ministro da Educação, Fernando Haddad, não é possível indicar se esses profissionais estão em busca de uma primeira ou de uma nova graduação. O MEC pretende depurar os dados para conhecer melhor esse público. “Mas os números nos surpreenderam positivamente. Nos dois casos [de o professor ter ou não nível superior], a busca pela formação é positiva”, disse.

Há ainda docentes matriculados em cursos que não são diretamente relacionados à prática pedagógica como direito (8 mil), administração (5 mil) e engenharia (3 mil).