26.8.11

Subsolo de Montes Claros pode ser rico em petróleo - Pesquisadores exploram o subsolo da cidade e região com objetivo de identificar a existência de petróleo e gás natural


Extraído do jornal O Norte

Há mais de um mês, técnicos e engenheiros da Global Serviços Geofísicos Ltda estão explorando o subsolo de Montes Claros e outras cidades da região do Norte de Minas. O objetivo é identificar a existência de petróleo e gás natural nas cidades do interior. Na terça-feira, O Norte localizou parte do grupo de funcionários trabalhando na região do parque Lapa Grande, na Vila Atlântida. Milhares de fios de cor laranja foram esticados em uma área extensa no caminho para o Parque. Ainda na terça-feira, no mesmo horário, equipes da empresa exploravam outras partes da cidade. Uma delas estava nas imediações da BR-135, região do bairro José Correa Macha
                                        Foto:   Miro Souto

Funcionários da empresa na Vila Atlântida
Segundo informações, as pesquisas ainda devem durar alguns meses e o resultado só deverá ser conhecido entre dezembro e janeiro.
No início deste mês, a prefeitura publicou nota divulgando que a Empresa Brasileira de Exploração e Produção de Gás Natural Petra Energia S.A iria realizar estudos geológicos em estradas vicinais. Segundo o coordenador da Petra, Guilherme Pena Castilho, existe a possibilidade de ter petróleo e gás natural no subsolo de Montes Claros. Mas a pesquisa é demorada. A empresa vai explorar área de 72 mil quilômetros quadrados em Minas Gerais, o que engloba 83 municípios.

A PESQUISA

Os cabos colocados sobre o solo irão captar imagens das camadas de rocha de subsuperfície nas estradas vicinais montes-clarenses (enviar para um computador), para identificar estruturas que contenham hidrocarbonetos, indicação de que há petróleo ou gás natural. O trabalho é feito com equipamentos especializados, provocando vibrações no solo que são captadas por instrumentos chamados geofones. As informações são processadas e interpretadas, o que possibilita o conhecimento geológico da bacia. Mas o resultado só deve ser conhecido no final do ano.
 

Nenhum comentário: