3.11.11

Professores podem interromper reposições de aulas em Minas

Após conviverem com a falsidade do governo mineiro que não tem cumprido aquilo que assume com a classe de profissionais da Educação, os professores da rede pública estadual estão prestes a paralisarem as reposições de aulas referentes ao longo período de greve que durou 112 dias.
Na última reunião da Comissão Tripartite, criada para negociar com o Governo a implantação do Piso Salarial para os profissionais da educação e consequentemente o cumprimento da Lei Federal 11.738/2008, eis que o Governo vem com uma proposta totalmente contrária às expectativas dos profissionais.
Primeiro, ele destrói um plano de carreira existente, que se não era dos melhores, pelo menos estava sendo corrigido em algumas deformações com a nova Lei;
Ainda, como parte de acordos da referida Comissão Tripartite, o pagamento de novembro seria feito integralmente, isto é, sem cortes, e mais uma vez, profissionais depararam com descontos em seus contracheques;
Um prêmio produtividade criado  por esse mesmo governo, bastante divulgado no ano passado por ocasião das eleições que elegeram esse entrave, não está sendo honrado, isto é, não é pago e não se tem nem mesmo a perspectiva de que será depositado na conta dos funcionários ainda este ano.
Como está provado que este governo, que para aqueles que de alguma forma dependem dos serviços do setor educacional, não passa de um desgoverno, o Sind-Ute fez em seu site oficial  a seguinte orientação às subsedes:"Orientamos que as subsedes realizem assembleias locais para avaliarem o processo de negociação e organizem caravanas para realizarmos uma grande manifestação em Belo Horizonte. É preciso reagir a tudo que estamos enfrentando. É preciso pressionar para o correto pagamento do Piso Salarial Profissional Nacional".
A subsede do Sind-Ute em Montes Claros convoca os seus filiados para uma Assembleia 
Geral a ser realizada as 17h e 30 min. de sexta-feira 04/11 à rua Juca Prates nº 1358  em sua sede local cuja pauta é a seguinte:
Informes:
Avaliação das negociações;
Mobilização do dia 10/11

Nenhum comentário: